A COMPLICADA TAREFA DE ESCOLHER UM CANDIDATO A VEREADOR EM MONTEIRO.

OPIPOCO MONTEIRO | quinta-feira, junho 07, 2012 |

Algo importantíssimo em um vereador é o seu caráter. O seu candidato deve ser extremamente honesto, e o seu currículo não deve ter sequer um arranhão com relação a isso. Na câmara, ele receberá inúmeras tentativas de suborno, e para resistir a isso, deve ter uma honestidade inabalavel, um vereador deve ser alguém extremamente preparado intelectualmente, pois se não for assim, não saberá o que fazer na câmara. Para legislar bem, é preciso conhecimento e preparo, coisas que um analfabeto não tem. Portanto, se você pretendia votar num conhecido que é analfabeto ou quase isso, mas é boa pessoa, pode esquecer. No mínimo um curso superior, o vereador deve ter. Dê preferência aos formados,  que possuem um conhecimento mais especifico para a função. Não se preocupe se o candidato nunca ocupou um cargo público, o que o povo costuma dizer de “nunca ganhou pra nada”. Para ser um bom vereador não é preciso ter experiencia.

Um candidato a vereador não pode ver a  função como  um modo  de sobrevivência que  a  política proporciona inclusive para aqueles sem conhecimento no estilo " Tiririca". Nesse caso seus trabalhos serão direcionados na compra  da sua “ambulância” distribuição de títulos, empregos aos seus cabos eleitorais, enfim um "círco" vicioso.  É evidente que essa forma equivocada do papel do vereador encontra respaldo junto a muitos moradores locais e aí o círculo vicioso se fecha. Vereador  que não tem propostas para mudar a cidade e as condições básicas do povo, dedica-se na compra de remédios quando falta no pronto socorro , mesmo  que para isso reparta o salário de seus assessores, raramente irão cobrar o secretário de obras, mas só quando este tirar uma máquina de determinado serviço para atender a determinado vereador a pedido do gabinete. Porém diz o ditado da sobrevivência " Quem não “amarra o rabo” com o executivo não consegue tapar um buraco sequer na porta da casa da sua casa". O vereador de verdade deve atuar mais nas tarefas básicas do Legislativo. Em primeiro lugar, deve ela­borar leis que estabeleçam diretrizes para as políticas públicas , e na  Câmara Municipal votar leis verdadeiramente signi­ficativas para a população. Outro papel importante é a de fiscal da execu­ção orçamentaria pelo Executivo, garantindo que os recursos sejam executados de acordo com as prioridades estabelecidas. Os próximos vereadores não poderão  ter medo de contrariar o executivo , não ter medo de perder a chamada " boquinha"  ocupada por parentes, cabos eleitorais que venham a exercer cargos de  comissionados. "O mandato do vereador tem de ser construído em conjunto com os setores organizados da comunidade que tenham interesses legí­timos nas intervenções que o poder pú­blico vai realizar. Esse compartilhamento do mandato pode representar uma fonte de propostas e idéias de atuação no Legis­lativo".

O PIPOCO

: