Governo abandona Hospital de Itabaiana e pacientes são colocados no chão

Quem precisar de atendimento no Hospital Regional de Itabaiana vai se deparar com um quadro de completo abandono e desrespeito com os pacientes, que são (mal) instalados em colchonetes colocados no chão, a maioria deles já rasgados e impróprios para o uso. Os banheiros foram transformados em depósito de material descartado…

Até mesmo uma garrafa de oxigênio foi despejada dentro de banheiros, onde os sanitários não mais funcionam. Os funcionários dormem no chão, fetos são jogados no lixo comum, e lixo hospitalar são misturados com lixo comum. Um cenário de purgatório, que já foi denunciado ao Ministério Público, mas que até agora nada aconteceu.

Os funcionários, ouvidos pelo Blog, estão amedrontados. Dizem que não pode falar nada com medo de serem demitidos, e vivem diariamente num “clima de terror”. Para completar o caos, o Governo do Estado demitiu, nesta quarta-feira (dia 27), o diretor Adriano César Barbosa, que trabalhava no hospital há quatro anos, simplesmente por vir cobrando providências da Secretaria de Saúde.

O Hospital de Itabaiana foi iniciado no Governo Cássio Cunha Lima e concluída na gestão de Zé Maranhão.
Helder Moura JP







SUMEENSE PERDE BOLSA FAMÍLIA APÓS DENÚNCIA INFUNDADA DE RADIALISTA

A sumeense Edna Maria da Silva Mendonça, mais conhecida como Edna Jacquelline de 29 anos, moradora na Rua Augusto Xavier de Souza, foi vítima de falsas denúncias sobre o Bolsa Família realizadas pelo radialista Lindemberg Tavares da Rádio Alternativa FM. A mesma é desempregada e sobrevive de alguns bicos. 


Na época, a Rádio veiculou que Edna seria uma comerciante e por tanto não teria direito de receber o beneficio. Fato curioso é que o radialista queria denunciar Edna Trezena residente na Rua do Calçadão, essa sim comerciante, proprietária de uma Padaria. Após apurações da reportagem da Rádio Cidade de Sumé, foi constatado que a comerciante não possui este beneficio. O que foi comprovado pela própria Secretaria de Ação Social do município. A denúncia infundada culminou na perda do beneficiou de Edna Jacquelline , que estava dentro dos critérios do programa.

A denúncia infundada também foi feita pelo Deputado Frei Anastácio na ALPB Confira: http://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20140716114846. que é apoiado no município pelos proprietários da emissora Alterantiva FM. 
A Secretária de Ação Social, Brígida Xavier, se prontificou que durante este período em que o benefício estiver cancelado, a mesma dará total assistência a moradora. Inclusive já foi feito um laudo que será encaminhado em Ministério de Desenvolvimento Social, mostrando o contraditório da denúncia infundada, para que o beneficio de Edna Jacquelline seja retomado. 

Confira a entrevista com Edna veiculada no Jornal do Cariri na Rádio Cidade nesta quinta-feira (28) : https://soundcloud.com/user421817226/edna-jacquelline 

CARIRI EM AÇÃO
Quintans quer investigação sobre denuncia de transformar macas em leitos na PB

Deputado estadual recorre ao Ministério da Saúde e à Procuradoria Geral de Justiça pela apuração das irregularidades.
O deputado estadual Francisco de Assis Quintans (DEM) anunciou, na manhã desta quinta-feira, 28, que vai encaminhar um requerimento ao Ministério da Saúde (MS) e um pedido formal de abertura de investigação, por parte do Ministério Público da Paraíba (MPPB), solicitando a apuração sobre uma grave denúncia veiculada no guia eleitoral da Coligação A Vontade do Povo, ontem: dezenas de macas estão sendo transformadas e contabilizadas pelo Governo do Estado como leitos hospitalares nas unidades de saúde.

Com fotos e imagens de vídeos captadas nos hospitais de Trauma de João Pessoa e Campina Grande, a equipe de reportagem do guia eleitoral da Coligação não deixou dúvidas sobre a precariedade das condições de atendimento de saúde pela rede de responsabilidade da Secretaria de Saúde. E o mais grave: ficou claro que muitas macas são transformadas, sem o menor pudor, em leitos hospitalares.

Para Quintans, existe na comprovação de irregularidades, duas conseqüências graves: primeiro, fica de forma inequívoca comprovado que o Governo do Estado se apropria das macas do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), prejudicando uma assistência fundamental para a população. E, ao mesmo tempo, desvenda a farsa montada para “inflar” o número de leitos na Paraíba, recorrendo-se ao absurdo uso de macas.

- É algo tão revoltantemente irregular que não creio que o Ministério da Saúde e o próprio Ministério Público Estadual venham a se omitir diante da gravidade da denúncia – opinou Quintans, ao lembrar que, no mês passado, denúncias feitas pela reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, sobre a falta de leitos e a má utilização de macas das ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no Hospital de Trauma de Campina Grande, já escandalizaram o Brasil.

Quintans revelou que já solicitou um pedido de informação sobre o caso junto à Secretaria de Estado de Saúde (SES) e aguarda um posicionamento do órgão. “Solicitei um pedido de informação e agora estou esperando uma resposta. Este é o protocolo. Caso não obtenha resposta, entrarei com uma ação para investigar o caso”, explicou o legislador.

O deputado lamentou ainda a situação da saúde no Estado. Quintans classificou a atual gestão como de “ficção”. “É alarmante o que estamos vendo. É um governo virtual, de ficção. O que estamos vendo é um descaso em várias áreas, não só na saúde. A educação também está um verdadeiro caos, com o fechamento de escolas e a redução no número de matrículas”.

Redução de leitos

A Paraíba perdeu 546 leitos hospitalares de dezembro de 2010 a julho de 2014, conforme dados do Ministério da Saúde. Ao contrário do que vem sendo divulgado pela propaganda oficial do governo Ricardo Coutinho, os espaços para atendimento hospitalar vêm diminuindo e o Estado não vem abrindo novos leitos em quantidade suficiente para reverter o déficit. Segundo atesta o Ministério, na rede estadual apenas seis leitos foram criados de 2010 até hoje.

Segundo os dados do Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES – MS), que mostram que, em dezembro de 2010, último ano do governo anterior, existiam 1.872 leitos em hospitais do Estado. Em julho desse ano, eram 1.878 leitos. Um aumento de apenas seis novas unidades durante toda atual gestão.

Uma realidade bem diferente do quem vem sendo dito pelo governo. Em junho, a propaganda oficial divulgou que haviam sido criados 600 leitos. Porém, o total aumenta a cada debate ou pronunciamento do governante socialista. Agora já se fala em cerca de mil leitos criados.

Assessoria de Imprensa
Estado terá que pagar R$ 5 mi em gratificações a PMs

STF determinou o pagamento. O governo só vai se pronunciar quando for intimado.
Lenilson Guedes

O governo da Paraíba terá de pagar R$ 5 milhões, em folha suplementar, a gratificação de habilitação dos policiais militares. A decisão é da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), que negou uma Reclamação ajuizada pelo Estado contra decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba.

Na ação, o governo da Paraíba alega dificuldades financeiras para cumprir a ordem judicial e defendeu que o pagamento teria de ser feito por meio de precatório e não por folha suplementar.

O caso foi julgado em 5 de fevereiro de 2004 pela 2ª Seção Especializada Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, que analisou um mandado de segurança impetrado pela Caixa Beneficente dos Oficiais e Praças da Polícia Militar da Paraíba e o Clube dos Oficiais da Polícia Militar da Paraíba.

Após o trânsito em julgado da ação, o relator do processo, desembargador Genésio Gomes Pereira Filho, determinou que o Estado fizesse o pagamento das gratificações. O governo da Paraíba buscou suspender a decisão por meio de uma Reclamação no STF.

No entanto, a relatora do caso, ministra Cármen Lúcia, entendeu que a ação proposta pelo Estado não se presta para discutir a matéria. Em outras palavras, ela quis dizer que o governo teria de propor um outro tipo de recurso e não a Reclamação.

"A análise sobre o acerto ou desacerto da determinação ao Estado da Paraíba de pagamento, por folha suplementar, das parcelas da Gratificação de Habilitação Policial Militar do período entre a concessão da segurança (fevereiro de 2004) e o cumprimento do julgado (maio de 2004), sujeita-se a via recursal própria, não podendo ser aferida em reclamação", afirma a ministra em seu despacho.

A decisão foi publicada na edição desta quinta-feira (28) do diário eletrônico do Supremo Tribunal Federal (STF). 

O que diz o Estado

O procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, disse que só vai se pronunciar após a intimação. "Ainda não fui intimado. Me pronunciarei assim que for intimado".
Salário mínimo chegará a R$ 788,06 em 2015

A peça orçamentária traz uma mensagem da presidenta Dilma Rousseff com um diagnóstico sobre a situação econômica do país e suas perspectivas
Camila Domingues/Palácio Piratini/Divulgação
Salário mínimo receberá reajuste de 8,8%

A partir de 1º de janeiro de 2015, o salário mínimo deve ser R$ 788,06, segundo o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) 2015. Um reajuste de 8,8%. O anúncio foi feito hoje (29) pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, depois de entregar a proposta ao presidente o Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL). A ministra antecipou que o texto prioriza investimentos em saúde, educação combate à pobreza e infraestrutura.

A peça orçamentária traz uma mensagem da presidenta Dilma Rousseff com um diagnóstico sobre a situação econômica do país e suas perspectivas.

Pela Constituição, o prazo de entrega do projeto pelo Executivo termina no dia 31 de agosto. Mas, com a expectativa de conclusão da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que define as metas e prioridades da administração pública federal, só na semana que vem, durante o esforço concentrado, o governo se antecipou. A LDO deveria orientar a elaboração da peça orçamentária.

“Coloquei toda a equipe do ministério [do Planejamento] à disposição, para os esclarecimentos necessários, para que o Congresso possa fazer uma análise rápida do Orçamento e votá-lo até o fim do ano, prazo que o presidente do Senado [Renan Calheiros], confirmou que é possível fazer”, explicou a ministra.

O Orçamento Geral da União (OGU) é formado pelo orçamento fiscal, da seguridade e pelo orçamento de investimento das empresas estatais federais. A Constituição determina que a proposta seja votada e aprovada até o dia 22 de dezembro.

No projeto de lei, também consta a estimativa para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em 5%, no próximo ano.

A projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, ficou em 3% (R$ 5,756 trilhões).

O governo estima que o superávit primário para o setor público consolidado será R$ 143,3 bilhões, valor que corresponde a 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Com o abatimentos, o superávit primário vai para R$ 114,7 bilhões, correspondentes a 2% do PIB.

O superávit primário é a poupança para pagar os juros da dívida que o governo seus credores. Na medida em que o país consegue alcançar as metas de superávits primários, tem condições de pagar dividas.
OPIPOCO COM IG
 
  
Foi realizado na noite desta última quarta - feira ( 27), no teatro Jansen Filho, mais uma etapa do projeto Tesouros do Cariri, idealizado pelo poeta Marco di Aurélio, na ocasião o homenageado foi o sanfoneiro Monteirense " Dejinha de Monteiro", no documentário Dejinha revela a trajetória de sua carreira e de como é difícil fazer o autentico forró nos dias atuais.

A noite estava apenas começando, entre declamações e poesias o público presente se deliciou com uma boa música de qualidade. O poeta Raniel Quintans também foi lembrado pelos poetas que estavam ali  presentes que recitaram algumas poesias em sua homenagem.

Segundo Marco di Aurélio, na próxima semana o documentário estará disponível na internet ( YOUTUBE) para toda população.

OPIPOCO




OPIPOCO
Acidente na BR-412 deixa uma vítima fatal e dois feridos

Um veículo Gol, ano 1997, de placa KIA 8996 – Serra Branca – PB, capotou na manhã desta quinta-feira, 28, na BR 412, nas proximidades do Bar da Cabrita, entre a cidade de Serra Branca e o Distrito de Santa Luzia, no mesmo município.

Segundo informações, o condutor do veículo, Francivaldo de Souza, 44 anos, possivelmente dormiu ao volante levando o carro a capotar por diversas vezes. Francivaldo morreu no local e outros dois passageiros ficaram gravemente feridos e foram transferidos para a cidade de Campina Grande.

Um dos passageiros foi identificado como Severina Ferreira Andrade de Souza, 41 anos, e a outra vítima não foi identificada.

OPIPOCO Com VC e Jacqueline Oliveira
ARTIGO: VIOLÊNCIA NO CARIRI PARAIBANO: DIAGNOSTICANDO O PERFIL DA VÍTIMA E TRAZENDO NOVAS PERSPECTIVAS PARA A SEGURANÇA PÚBLICA
José Maria Nóbrega Jr.

Cientista político, professor da UFCG/CDSA, coordenador do NEVU (Núcleo de Estudos da Violência da UFCG)

A violência vem grassando a vida de muitos cidadãos brasileiros. No último ano de registro, 2012, foram mais de cinquenta e cinco mil pessoas assassinadas no país, o que resultou numa taxa de homicídios superior a quase três vezes o tolerável, ou seja, 29 pessoas foram assassinadas no Brasil por cada grupo de cem mil habitantes para um nível de tolerância de 10 por cem mil. Uma verdadeira epidemia, segundo os dados do SIM/DATASUS (Sistema de Informação de Mortalidade do Sistema de dados do Sistema Único de Saúde), que computa todos os dados de causas mortis da CID, Classificação Internacional de Doenças. Os homicídios no Brasil matam mais que o vírus do ebola na África. Dentro deste contexto, o Nordeste é a região mais representativa. Com mais de vinte mil assassinatos registrados em 2012, possui uma taxa de 39 homicídios por cem mil habitantes, superando países que estão em guerra declarada. Neste diapasão, a Paraíba é representativa. Entre 2000 e 2012, a diferença percentual foi superior aos 200% e as taxas por cem mil saltaram em 171% no período. Em 2000, a taxa foi de 14,7 homicídios por cem mil habitantes paraibanos, chegando em 2012 ao número expressivo de 40/100 mil. Neste Estado nordestino o processo não se deu apenas nas maiores cidades. O interior viu um processo de crescimento da violência nunca visto antes. O Cariri, região do semiárido paraibano, sofreu impacto significativo. É nesta microrregião que concentro agora a minha análise.

Os dados que se seguem foram resgatados da pesquisa de Iniciação Científica (PIBIC) recém-finda, executada pela estudante do curso de Ciências Sociais do Centro de Humanidades, Campus de Campina Grande, Elizabeth Karla Guedes de Carvalho. Por mim orientada no âmbito do CDSA. O título da pesquisa “A VIOLÊNCIA NO CARIRI PARAIBANO: UMA ANÁLISE EMPÍRICA DA CRIMINALIDADE HOMICIDA”.

Fazendo um levantamento dos dados de homicídios em doze cidades do Cariri paraibano, selecionadas aleatoriamente, em doze anos, municípíos como Sumé e Monteiro – que possuem as maiores populações da região - apresentaram níveis elevados de assassinatos. No somatório do período 2000 a 2012, Sumé teve 28 assassinatos perpetrados em seu território. Monteiro ficou em primeiro lugar com 43 assassinatos e São João do Tigre, apesar de uma população de pouco mais de quatro mil habitantes, teve 11 assassinatos em doze anos.

Os mais vitimados são jovens entre 15 e 30 anos, tendo, também, um quantitativo expressivo de pessoas adultas, com mais de trinta e menos de cinquenta anos, incluso nessa estatística da morte violenta.

Os dados mostram que a maioria dessas vítimas tem baixo nível de escolaridade, o que aponta para uma maior envergadura da variável educação como elemento de controle da violência. Analisando o perfil por esta variável, no período 2000 a 2012, destacando as cidades de Sumé, Monteiro e Livramento, percebemos a forte relação entre o nível de escolaridade e números absolutos de homicídios. Com exceção da cidade de Monteiro, cem por cento das vítimas de homicídio tiveram menos de 12 anos de escolaridade. Em Sumé, foram assassinadas 9 pessoas, e onde se teve registro, todas com menos de 12 anos de escolaridade. Em Livramento, a chance de pessoas com menos de 12 anos de escolaridade ser assassinada também é bem maior. Foram assassinadas 5 pessoas durante 12 anos. E não é diferente na cidade de Monteiro que teve 12 vitimas com escolaridade inferior aos 12 anos de escolaridade e apenas duas vitimas com escolaridade igual ou superior aos 12 anos. Podemos concluir que o nível de escolaridade influencia nos assassinatos, pois quanto menos anos de escolaridade maior as chances de ser vitima de homicídio.

Outro dado importante diz respeito à violência de gênero. A maior parte das vítimas é do sexo masculino, contudo, os homicídios praticados contra as pessoas do sexo feminino pode-se dizer que é alarmante. A média nacional de homicídios do sexo feminino é de 4 homicídios por cem mil habitantes. No Cariri este dado supera a média nacional. As mulheres estão sofrendo com a violência, a taxa em Serra Branca, por exemplo, foi de quase 15/100 mil, em 2012. Foi uma mulher assassinada numa cidade de pequeno porte. Uma morte violenta em cidade de pequeno porte eleva muito a taxa. Contudo, em Sumé tivemos um assassinato de uma jovem de forma covarde e desumana nos últimos dias, o que nos leva à reflexão desse fenômeno: o feminicídio. O controle desta variável é possível, sobretudo pelo tamanho do município e pela tarefa de conscientização que os prefeitos podem alavancar em termos de região.

A maior parte das vítimas é solteira e da cor da pele parda. Mas, o que podemos destacar é o nível de homicídios praticados por arma de fogo. A média nacional é de 70% das vítimas de homicídios. Contudo, a Paraíba apresenta nível maior de mortes por agressão praticadas por arma de fogo. O percentual foi de 85,4%. No Cariri o percentual foi de 66,7% de homicídios praticados com arma de fogo e 22% praticados com objeto perfuro-cortante. Duas observações os dados nos permitem fazer: a primeira, a facilidade de se obter arma de fogo no Estado da Paraíba. A segunda, no Cariri muitas mortes desse tipo foram perpetradas por arma branca (perfuro cortante). Isto nos indica a importância das apreensões de armas, não só de fogo, como uma das tarefas a ser praticada pelas polícias da região.

O perfil da vítima demonstra uma tendência, apesar de algumas peculiaridades regionais. Mas, segue que a maioria delas é do sexo masculino, tem entre 15 e 30 anos de idade, é da cor da pela parda, de baixo nível de escolaridade, solteira e foi alvejada por arma de fogo. Somente com este perfil o gestor da segurança pública pode, em parceria com outras áreas setoriais, implantar modelos de prevenção bem sucedidos, sobretudo em nível de municípios.

Para concluir, mostra-se relevante a discussão da segurança pública no âmbito da comunidade. Recentemente, uma moça da Cidade de Sumé foi estuprada e assassinada no município, o que gerou revolta por parte da população. Os órgãos constituídos, Legislativo, Executivo e Judiciário pouco se manifestaram a respeito. É hora de levar a discussão da segurança pública para o âmbito municipal. Isso já foi feito há mais de dez anos em países como a Colômbia e os Estados Unidos e, também, em alguns municípios de maior porte do Brasil. Urge a presença dos poderes constituídos no interior do Nordeste, em específico na Paraíba, para discutir, em conjunto com a sociedade e a comunidade acadêmica, novas políticas públicas para os municípios da região do Cariri paraibano e de outras regiões que, como o Cariri da Paraíba, vem sofrendo com a criminalidade, a violência e a delinquência juvenil.
Em Monteiro dia 30/08 Encontro dos Amigos na Churrascaria Cariri

A Churrascaria cariri do amigo Chova promove mais um grande evento neste sábado 30 de agosto, com o show da Banda Sonda 18 com participação especial de Antônio Tourinho.

OPIPOCO

O evento começa às 21:00hrs.
7 motivos pelos quais Marina Silva não representa a “nova política”

Se a sua intenção este ano é votar em uma "nova forma de fazer política", leia este texto antes de encarar a urna eletrônica
Neca Setúbal, herdeira do Itaú e coordenadora do programa de governo de Marina Silva, a candidata e seu vice, Beto Albuquerque

É comum eleitores justificarem o voto em Marina Silva para presidente nas Eleições 2014 afirmando que ela representaria uma “nova forma de fazer política”. Abaixo, sete razões pelas quais essa afirmação não faz sentido:

1. Marina Silva virou candidata fazendo uma aliança de ocasião. Marina abandonou o PT para ser candidata a presidente pelo PV. Desentendeu-se também com o novo partido e saiu para fundar a Rede -- e ser novamente candidata a presidente. Não conseguiu apoio suficiente e, no último dia do prazo legal, com a ameaça de ficar de fora da eleição, filiou-se ao PSB. Os dois lados assumem que a aliança é puramente eleitoral e será desfeita assim que a Rede for criada. Ou seja: sua candidatura nasce de uma necessidade clara (ser candidata), sem base alguma em propostas ou ideologia. Velha política em estado puro.

2. A chapa de Marina Silva está coligada com o que de mais atrasado existe na política. Em São Paulo, o PSB apoia a reeleição de Geraldo Alckmin, e é inclusive o partido de seu candidato a vice, Márcio França. No Paraná, apoia o também tucano Beto Richa, famoso por censurar blogs e pesquisas. A estratégia de “preservá-la” de tais palanques nada mais é do que isso, uma estratégia. Seu vice, seu partido, seus apoiadores próximos, seus financiadores e sua equipe estão a serviço de tais candidatos.Seu vice, Beto Albuquerque, aliás, é historicamente ligado ao agronegócio. Tudo normal, necessário até. Mas não é “nova política”.

3. As escolhas econômicas de Marina Silva são ainda mais conservadoras que as de Aécio Neves. A campanha de Marina é a que defende de forma mais contundente a independência do Banco Central. Na prática, isso significa deixar na mão do mercado a função de regular a si próprio. Nesse modelo, a política econômica fica nas mãos dos banqueiros, e não com o governo eleito pela população. Nem Aécio Neves é tão contundente em seu neoliberalismo. Os mentores de sua política econômica (futuros ministros?) são dois nomes ligados a Fernando Henrique: Eduardo Giannetti da Fonseca e André Lara Rezende, ex-presidente do BNDES e um dos líderes da política de privatizações de FHC. Algum problema? Para quem gosta, nenhum. Não é, contudo, “uma nova forma de se fazer política”.

4. O plano de governo de Marina Silva é feito por megaempresários bilionários. Sua coordenadora de programa de governo e principal arrecadadora de fundos é Maria Alice Setúbal, filha de Olavo Setúbal e acionista do Itaú. Outro parceiro antigo é Guilherme Leal. O sócio da Natura foi seu candidato a vice e um grande doador financeiro individual em 2010. A proximidade ainda mais explícita no debate da Band desta terça-feira. Para defendê-los, Marina chegou a comparar Neca, herdeira do maior banco do Brasil, com um lucro líquido de mais de R$ 9,3 bilhões no primeiro semestre, ao líder seringueiro Chico Mendes, que morreu pobre, assassinado com tiros de escopeta nos fundos de sua casa em Xapuri (AC) em dezembro de 1988. Devemos ter ojeriza dos muito ricos? Claro que não. Deixar o programa de governo a cargo de bilionários, contudo, não é exatamente algo inovador.

5. Marina Silva tem posições conservadoras em relação a gays, drogas e aborto. O discurso ensaiado vem se sofisticando, mas é grande a coleção de vídeos e entrevistas da ex-senadora nas quais ela se alinha aos mais fundamentalistas dogmas evangélicos. Devota da Assembleia de Deus, Marina já colocou-se diversas vezes contra o casamento gay, contra o aborto mesmo nos casos definidos por lei, contra a pesquisa com células-tronco e contra qualquer flexibilização na legislação das drogas. Nesses temas, a sua posição é a mais conservadora dentre os três principais postulantes à Presidência.

6. Marina Silva usa o marketing político convencional. Como qualquer candidato convencional, Marina tem uma estrutura robusta e profissionalizada de marketing. É defendida por uma assessoria de imprensa forte, age guiada por pesquisas qualitativas, ouve marqueteiros, publicitários e consultores de imagem. A grande diferença é que Marina usa sua equipe de marketing justamente para passar a imagem de não ter uma equipe de marketing.

7. Marina Silva mente ao negar a política. A cada vez que nega qualquer um dos pontos descritos acima, a candidata falta com a verdade. Ou, de forma mais clara: ela mente. E faz isso diariamente, como boa parte dos políticos dos quais diz ser diferente.

Há algum mal no uso de elementos da política tradicional? Nenhum. Dentro do atual sistema político, é assim que as coisas funcionam. E é bom para a democracia que pessoas com ideias diferentes conversem e cheguem a acordos sobre determinados pontos. Isso só vai mudar com uma reforma política para valer, algo que ainda não se sabe quando, como e se de fato será feita no Brasil.


Aécio tem objetivos claros. Quer resgatar as bandeiras históricas do PSDB, fala em enxugamento do Estado, moralização da máquina pública, melhora da economia e o fim do que considera um assistencialismo com a população mais pobre. Dilma também faz política calcada em propósitos claros: manter e aprofundar o conjunto de medidas do governo petista que estão reduzindo a desigualdade social no País.

Se você, entretanto, não gosta da plataforma de Dilma ou da de Aécio e quer fortalecer “uma nova forma de fazer política”, esqueça Marina e ouça Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) com mais atenção.

De Marina Silva, espere tudo menos a tal “nova forma de fazer política”. Até agora a sua principal e quase que única proposta é negar o que faz diariamente: política.
Justiça decide, nesta 5ª feira, se delegacias de Polícia ficam obrigadas a funcionar à noite


Audiência foi marcada pelo juiz Antônio Carneiro de Paiva Júnior, titular da 4ª Vara da Fazenda pública da Capital e deve contar com a presença de representantes das forças de segurança
Polícia Civil
Uma audiência deve discutir a adoção de medidas que visem o funcionamento das delegacias de Polícia Civil num prazo de 15 dias. A intenção é que as delegacias funcionem no período noturno, feriados e fins de semana. A sessão deve acontecer nesta sexta (29) às 10h.

A audiência foi marcada pelo juiz Antônio Carneiro de Paiva Júnior, titular da 4ª Vara da Fazenda pública da Capital e terá a participação do secretário de Segurança e da Defesa Social, Cláudio Coelho Lima, o delegado-geral da Polícia Civil, Carlos Alberto Ferreira da Silva, o superintendente da Polícia Civil, Wagner Dorta, e o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro Gama.

“Quero um debate aberto entre as partes para que cheguem a uma resolução, em que o serviço para a população não seja interrompido, ante a alegação do estado de insegurança”, explicou o magistrado.

Processo

A decisão foi tomada no dia 20 de maio. Um deferimento parcial de uma liminar requerida através de uma ação promovida por José Espínola da Costa, com característica de uma Ação Popular, contra Ato Administrativo do Estado (Portaria nº 634/13, nos termos do artigo 273 do CPC), que regulamentou plantões extraordinários (noturno e finais de semana) nas unidades policiais da 1ª Superintendência de Polícia Civil do Estado, que ficou conhecido como “fechamento” das delegacias à noite e nos finais de semana.

Na justificativa, o promovente alega que, na prática, o ato resultou no fechamento noturno de 33 Delegacias de Polícia em diversos municípios, causando revolta e indignação à população dos bairros atingidos, ante a crescente onda de violência verificada no Estado. Sustenta ainda que o ato, ora impugnado, teria sido praticado por autoridade incompetente, vez que editado sem a oitiva prévia do Conselho Superior da Polícia Civil.

Receita Federal apreende R$ 300 mil em mercadorias importadas irregularmente

Foram apreendidos peças de vestuário masculino e feminino, bolsas, carteiras, perfumes e maquiagens.
Inspetores da Delegacia Regional da Receita Federal na Paraíba apreenderam mercadorias avaliadas em cerca de R$ 300 mil, nesta terça-feira (27), em três lojas situadas em bairros nobres em João Pessoa. A ação fez parte da Operação denominada Outlet. 

Os produtos, entre peças de vestuário masculino e feminino, bolsas, carteiras, perfumes e maquiagens, teriam sido importados irregularmente de outros países. De acordo com a Receita Federal na Paraíba, a operação foi denominada Outlets em alusão a forma como as mercadorias foram adquiridas no exterior, em outlets, e internalizadas no Brasil. 

Durante as investigações ficou constatada que grande parte das mercadorias expostas à venda nas lojas era de origem estrangeira, sem a regular comprovação de importação, o que configura, em tese, crime de descaminho, de acordo com artigo 334 do Código Penal.

As mercadorias entraram no país como bagagem acompanhada e foram encontradas expostas à venda nas lojas, o que não é permitido pela legislação em vigor.

Da Redação
CÁSSIO E RICARDO SE ENCONTRAM E TROCAM CUMPRIMENTOS NO VELÓRIO DO CORONEL CHAVES

O pesar pela morte do coronel Fernando Antônio Soares Chaves, secretário-chefe da Casa Militar do Governo do Estado, colocou frente a frente o governador e candidato a reeleição Ricardo Coutinho (PSB) e o ex-governador e candidato Cássio Cunha Lima (PSDB). O encontro aconteceu durante o velório do coronel, morto em um acidente automobilístico no Sertão Paraibano na noite da última terça-feira (26).

Acompanhado pelo seu candidato a vice, o deputado federal Rui Carneiro (PSDB), Cássio chegou ao velório por uma comitiva de aliados políticos. A chegada do tucano foi vista com estranhamento por presentes no evento, já que Chaves era filiado ao PSB e amigo pessoal de Ricardo Coutinho. O governador, que já estava no evento, foi cumprimentado rapidamente pelo ex-aliado, mas eles não chegaram a conversar.
Opipoco com Paraíba Já 


Possibilitar aos estudantes experiência com o mercado de trabalho durante o período acadêmico, abrindo perspectivas para o futuro profissional. Com este propósito, o Centro de Ciências Humanas e Exatas (CCHE) do Câmpus VI da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Monteiro, viabiliza o projeto de uma empresa modelo, com a proposta de atender a demanda dos alunos do Câmpus e da sociedade no que diz respeito às áreas contábil, gerencial e administrativa.

Vinculado ao Curso de Ciências Contábeis, a Empresa Júnior, intitulada “Nova Cont JR” tem como objetivo principal atender as perspectivas da prática contábil para os alunos e também esclarecer e auxiliar nas tomadas de decisões empresariais para os gestores administrativos do grande Cariri paraibano.
Organizada pelos professores do Curso de Ciências Contábeis, Gilberto Franco de Lima Júnior, José Humberto do Nascimento Cruz, Paulo César Cordeiro, Marônio Monteiro do Rêgo e Wladimir Rocha Cavalcanti, a empresa modelo já está em funcionamento, com 20 estudantes colocando em prática os ensinamentos obtidos em sala de aula.
De acordo com o professor Gilberto Franco, que também é coordenador do Curso de Ciências Contábeis do CCHE, a empresa busca prestar serviços de qualidade na área contábil, para todos os envolvidos e engajados no propósito. A proposta é levar para os gestores administrativos, tanto dos órgãos públicos quanto privados, o olhar da contabilidade gerencial, administrativa e também no âmbito dos recursos humanos.
“A ação é uma grata iniciativa que tem apoio dos alunos e professores que buscam a melhoria contínua e também o compromisso com a Ciência Contábil. É a continuação de um trabalho que já vem acontecendo, sendo realizado corpo a corpo com os membros do colegiado e agora tomou proporções maiores com a consolidação de quem fez e tem como realizar ainda mais com a ajuda de todos”, disse o professor Gilberto.
Ele conta que os estudantes estão se preparando para atender uma demanda do Ministério Público Federal de Monteiro. Esse trabalho faz parte das atividades previstas em um convênio celebrado recentemente entre a diretoria do Câmpus e a Procuradoria da República do Município de Monteiro. A empresa modelo “Nova Cont JR” é uma empresa sem fins lucrativos com o perfil empreendedor no âmbito da prestação de serviços da área contábil.

Ascom
TC aprova contas do Congo e São Sebastião do Umbuzeiro
O Tribunal de Contas da Paraíba, reunido nesta quarta-feira (27), emitiu pareceres favoráveis à aprovação das contas de 2012 que lhe foram encaminhadas pelos prefeitos do Congo (Romualdo Antonio Quirino de Sousa) e São Sebastião do Umbuzeiro (Francisco Alípio Neves).

Também obtiveram a aprovação do TCE as contas de 2012 oriundas das Câmaras Municipais de Sapé, São João do Cariri, São Vicente do Seridó, Juarez Távora, Lagoa Seca, Tavares, Boqueirão e Caldas Brandão (neste caso, por maioria e, nos seis últimos, com ressalvas).

As contas de 2012 da Câmara Municipal de Piancó, assinadas pelo então presidente José Bráulio de Souza Júnior, foram reprovadas, conforme voto do relator Fernando Catão. Ao gestor foi aplicada a multa de R$ 2 mil e imposto o débito de R$ 5 mil por despesas não comprovadas.

Os processos constantes da pauta de julgamentos corresponderam a uma movimentação total de recursos da ordem de R$ 125.501.724,23. Presidida pelo conselheiro Fábio Nogueira, a sessão plenária teve as participações dos também conselheiros Umberto Porto, Nominando Diniz, Fernando Catão, Arthur Cunha Lima e André Carlo Torres Pontes. Ainda, as dos conselheiros substitutos Antonio Gomes Vieira Filho, Antonio Cláudio Silva Santos, Oscar Mamede e Renato Sérgio Santiago Melo. O Ministério Público de Contas esteve representado pela procuradora geral Isabella Barbosa Marinho Falcão.
OPIPOCO


Uma série de atividades de atenção e promoção à saúde. Através da Secretaria de Saúde e Prefeitura Municipal, por meio da equipe de profissionais do Núcleo de Atenção à Saúde da Família (NASF), vem sendo realizadas com atividade que visão melhoria da qualidade de vida da população, com ações voltadas para população em geral em especial aos grupos formados como Gestantes, Idosos , Hipertensos, Diabéticos e etc.

A equipe do NASF, é formada por fisioterapeuta, farmacêutico, assistente social, psicólogo, nutricionistas, irão realizar atividades socioeducativas e culturais, bem como orientar os moradores acerca da prevenção de doenças e os hábitos para uma vida saudável.

Na ocasião ofereceram informações e orientações que podem ajudar as gestantes no pré-natal e hora do parto. Esta é a meta da equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família – NASF que reuniu o Grupo de Gestantes do ESF de São Sebastião do Umbuzeiro, em atividades diferenciadas, o objetivo é conseguir ajudá-las a ter menos desconforto e mais tranquilidade e alegria no processo de nascimento do filho.
 


As gestantes participantes aprovam a iniciativa da equipe do NASF e avaliam que as orientações repassadas são importantes, as mesmas saíram do encontro agradecida pelas informações recebidas e confiante na possibilidade de um parto mais tranquilo. “Com essas informações a gente pode ter uma gravidez e parto melhor”

Como parte da programação do Dia NASF, os profissionais de saúde realizaram atividades educativas com as gestantes onde foram realizadas as entregas as Bolsas do Programa Rede Cegonha as gestantes do Município e um Jantar com o Grupo presente entre outras atividades. Após as atividades as gestantes foram contempladas com o sorteio de brindes organizado por Equipe NASF e Secretario Municipal de Saúde Marcio Luiz.
 
OPIPOCO COM bLOG DO DIDI
O deputado estadual Frei Anastácio, líder do PT na Assembleia Legislativa, voltou a falar sobre denúncias de nepotismo na prefeitura de Sumé. “Os documentos que recebi mostram que na prefeitura daquela cidade, existe um verdadeiro “trem da alegria”, com a contratação de parentes do prefeito e de vereadores”, disse Frei Anastácio.

A denuncia provocou a revolta do deputado Branco Mendes (PEN) que definiu Frei Anastácio como desinformado:

“Ele (Anastácio) se apega a um pedaço de papel que mandam pra ele sem contatar provas”, disparou Mendes, acrescentando que "Ninguém administra uma cidade pela 5ª vez e seja mal gestor. Nunca teve contas rejeitadas pelo TCE, é uma pessoa do bem e respeita o dinheiro público", disse Mendes.

Branco Mendes cobrou da Justiça, um Juiz titular, um promotor titular e um delegado exclusivo para Sumé: “Estou marcando uma audiência com Dr Fatima Bezerra (TJPB) para cobrar esse pleito tão importante”, relatou.


com PB Agora


Um caso curioso acontecido em abril bombou na internet nos últimos dias e chamou a atenção dos internautas. Fotos sensuais de mulheres seminuas postadas no Facebook. Algo comum se as personagens não fossem detentas da cadeia pública de Guarapuava, no Paraná.
As imagens mostram duas presas seminuas fazendo poses sensuais dentro das celas do presídio. De acordo com um carcerário do local, as postagens aconteceram em abril deste ano e no mesmo mês, as mulheres foram identificadas e penalizadas com sanções administrativas aplicáveis nesse caso. 
Para a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju), que é responsável pela cadeia pública de Guarapuava, o local possui procedimentos para impedir a entrada de celulares na carceragem, como detectores de metais e revista em visitantes. Mas, afirmou que a revista em mulheres é muito contestada, pois muitos a consideram um ato invasivo, o que acaba atrapalhando a ação dos agentes carcerários.
 

OPIPOCO

procon-notifica-operadora-tim-por-ma-prestacao-de-servico.jpg.280x200_q85_crop

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) notificou a operadora de telefonia móvel TIM para se explicar sobre a falta de funcionamento em vários pontos da cidade desde a última sexta-feira. Dezessete denúncias contra a empresa chegaram à Secretaria apenas na segunda-feira, 25, com os consumidores reclamando que não havia disponibilidade de sinal para aparelho de celular e nem para a internet.
 
Até julho deste ano já são 56 reclamações apenas contra a TIM. O número de denúncias em 2014 contra empresas de telefonia chega a 231. O secretário Helton Renê considera que as operadoras de telefonia móvel devem satisfações aos clientes quando, por qualquer motivo, precisam suspender os serviços. Por isso a TIM está sendo convocada para prestar esclarecimentos. A reunião, possivelmente, deverá ocorrer na próxima semana.
 
“As recorrentes denúncias que chegam ao SAC e ao setor de Fiscalização do Procon-JP mostram a insatisfação do consumidor quanto à eficiência das empresas de telefonia móvel. Notificamos a Tim para que ela se explique, e também como uma prevenção para evitar que a má qualidade do serviço continue a ocorrer”.
 
Segundo Helton Renê, o Código de Defesa do Consumidor deixa bem claro que as empresas que funcionam baseadas em concessões devem cumprir o serviço sem interrupções. E cita o texto do artigo 22 do CDC que assegura que “os órgãos públicos, por si ou suas empresas, concessionárias, permissionárias ou sob qualquer outra forma de empreendimento, são obrigadas a fornecer serviços adequados, eficientes, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos”.
 
As reclamações mais comuns contra as operadoras de telefonia móvel são a má prestação de serviço, cobrança indevida, má qualidade no atendimento ao público, principalmente depois que a pessoa se torna cliente, e a falta de resolução das demandas que chegam às empresas.


A Paraíba segue célere para bater o recorde de ataques a agências bancárias, em 2014. Nos primeiros oito meses do ano, o Estado já registrou nada menos do que 80 ocorrências, segundo levantamento realizado pelo Sindicato dos Bancários. Somente neste mês de agosto, foram registrados oito casos de ataques a agências bancárias.

O último deles aconteceu na madrugada desta quarta-feira (dia 27), em Belém do Brejo do Cruz. Os bandidos chegaram a acionar explosivos junto aos caixas eletrônicos, mas não conseguiram levar o dinheiro, segundo informes da polícia local. Logo após o arrombamento, eles fugiram num veículo, que teriam inclusive abandonado depois.

Na madrugada de ontem (dia 26), quatro homens fortemente armados já haviam explodido o caixa eletrônico do Bradesco, em Igaracy. Eles levaram todo o dinheiro disponível no caixa. Com a explosão, a agência ficou parcialmente destruída. A ação ousada dos criminosos deixou a população em pânico. O destacamento local, com apenas dois homens, não pode reagir ao roubo.

A Paraíba tem se apresentado com o um dos Estados onde mais se registram assaltos a bancos. Em 2011, foram registradas 62 ocorrências. No ano seguinte, em 2012, foram 63. Mas, no ano passado, em 2013, foram 129 registros. Nos primeiros oito meses de 2014, o número foi a 80 registros de ocorrências.






Com Portal Litoral



Em ação civil pública, Câmara Cível reconhece ato de improbidade administrativa cometido por ex-prefeito

O ex-prefeito do município de Patos, Dinaldo Medeiros Wanderley, foi condenado à perda de seus direitos políticos por quatro anos e multa civil de 30 vezes o valor da remuneração percebida quando era gestor. A decisão é da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), ao reconhecer, à unanimidade, que Dinaldo Wanderley praticou ato de improbidade administrativa, em fraude a processos licitatórios. A relatoria do recurso foi do desembargador José Aurélio da Cruz.

Conforme os autos (0005116-12.2006.815.0251), a Prefeitura de Patos interpôs ação civil pública, aduzindo que o ex-prefeito, durante o exercício de 2004, teria praticado fraude em processo licitatório, na medida em que fracionou uma licitação para aquisição de combustíveis, no valor de R$ 958.934,49. Ainda segundo o município, ocorreram inúmeros procedimentos licitatórios, na modalidade convite, sempre no valor inferior a R$ 80 mil, com participação, em todas as licitações, de apenas concorrentes determinados, e com o mesmo vencedor.

Na defesa, Dinaldo alegou que o fracionamento da licitação seria mais vantajoso para a administração, além do que o vencedor do processo era sempre o mesmo, por preencher os requisitos legais e ter o menor preço.

Em seu voto, o desembargador-relator ressaltou que o ex-gestor, em 2004, determinou a realização de aquisição de combustíveis, por meio de 12 cartas-convites, totalizando a quantia de quase um milhão de reais, através de licitações sempre em valor que não ultrapassavam R$ 80 mil, de modo a haver suposto enquadramento legal.

“No caso concreto, tem-se que os constantes e sucessivos fracionamentos dos contratos ocorridos no ano de 2004, com regulares intervalos de tempo e de mesmo produto (combustíveis e óleo lubrificantes), que poderia ser objeto de projeção para aquisição globais, cuja quantia poderia ser facilmente prevista por um determinado período, evidenciam um gritante desprezo à lei, ao que se soma a curiosa circunstância de que as aquisições dos produtos foram sempre direcionadas a três empresas: Posto Petrobrás, CID Posto e Posto Brasília Ltda, possuindo, sempre, a mesma vencedora”, disse o relator.

A Lei nº 8.666/93 (Licitações), em seu artigo 23, II, “a”, permite a contratação na modalidade convite para compras cujos valores não ultrapassem a quantia de R$ 80 mil.

“O recorrido praticou pessoalmente todos os atos necessários à caracterização de improbidade administrativa, na medida em que determinou a abertura dos doze procedimentos licitatórios, adjudicou e adotou as medidas necessárias à liberação dos pagamentos em favor de um único credor”, assegurou.

A Terceira Câmara Cível determinou também que o ex-gestor está proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.
OPIPOCO
Por Marcus Vinícius
 
O presidente da Cagepa, Deusdete Queiroga, afirmou que a cidade de Campina Grande não tem sofrido, até o momento, colapso no abastecimento de água se comparado com cidades vizinhas. Ele afirmou ainda que o governo do Estado tem investido em obras na área de abastecimento.
 
Apesar da previsão de racionamento de água na cidade, que deve acontecer em dezembro próximo, Deusdete afirmou que a questão não é por falta de gestão dos recursos hídricos, mas sobretudo por conta da pior seca nos últimos 50 anos na região nordeste.
 
– A Cagepa tem conseguido reduzir um pouco esse consumo de água desordenado e quando o manancial chegar com sua capacidade de 100 milhões de metros cúbicos, a partir de então é interessante reduzir a vazão e começar o racionamento. Isto deve acontecer em dezembro – explicou o presidente.
 
Queiroga disse ainda que o órgão tem trabalhado para que a distribuição de água atinja todos os bairros de Campina Grande, de forma satisfatória, durante o período de racionamento.
 
Com Paraibaonline

Jovem é preso acusado de exercício irregular da profissão de médico em Teixeira
Policiais Militares, lotados na 4ª CIA PM, sediados na cidade de TEIXEIRA-PB, sob o comando do Sub Tenente Avelino, e coordenação do Major Rômulo, foi noticiado através de DENUNCIAS, de que o acusado de nome Clayton Damasceno da Silva, estava Exercendo Ilegalmente, a Função de Medico, no Hospital Sancho Leite, acerca de um mês, tendo trabalhado 05(cinco) plantões e recebido 02(dois) plantões da administração do referido HOSPITAL, e que também exerceu a função de médico no Hospital Da Cidade De Cacimbas-PB.

O conduzido estava se passando por um médico de nome Clayton Ricardo Guilladucci, cujo o qual encontra-se afastado das suas funções profissionais. O acusado que vinha exercendo a função no Hospital de Teixeira, ainda não tinha assinado nenhum contrato com a referida instituição.

Ao fazer a abordagem ao referido conduzido, no hospital Sancho Leite, o mesmo negou-se a apresentar sua identificação, e ao realizar uma busca no interior do seu veiculo, um veiculo modelo Voyage, de cor branca, placas NNT-0722-RN, constatou-se a documentação verdadeira do conduzido, acima qualificado. Sendo que o mesmo é Agente Penitenciário do Estado De São Paulo, lotado na cidade de São Jose dos Campos.

Segundo relatos verbais do acusado, o referido cursou por cerca de 04(quatro) anos o curso de medicina. O veiculo do conduzido encontra-se no PATIO DA 4ª CIA PM, a disposição de quem de direito, e o mesmo foi entregue na Delegacia desta cidade para as medidas cabíveis.
4º CIA

Prefeitura de Teixeira informou que foi feito um contrato provisório.

Um homem que se passava por médico foi preso nesta quarta-feira no município de Teixeira, Sertão da Paraíba. Suspeito de exercer ilegalmente a profissão, ele estaria atuando como plantonista e tirou 5 plantões no Hospital Sancho Leite. 

De acordo com as investigações, o suspeito tinha falsificado o diploma, usava o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) de outra pessoa e havia fornecido dados falsos ao setor de Recursos Humanos da prefeitura, onde foi feito um contrato provisório com o falso médico.

Quando a prefeitura foi realizar o contrato, constatou junto aos órgãos competentes que não haveria veracidade na documentação apresentada. Diante disso, a prefeitura pediu ao Ministério Público que investigasse a documentação apresentado, foi então que em conjunto Prefeitura, Ministério Público e Polícia militar foi constatado as falsificações do médico.

Fonte - Thércio Rocha

Mais informações em Instantes.